Fique por dentro

Onze procedimentos cirúrgicos são incluídos no tratamento do câncer

Os recursos para cirurgias oncológicas nos últimos anos foram de R$ 172,2 milhões, saltando para  R$ 380,3 milhões em 2013 

O ano de 2013 começou com novidades no tratamento do câncer. O ministério da Saúde incluiu 11 novos procedimentos cirúrgicos na tabela do Sistema Único de Saúde (SUS).

Com essa ampliação, espera-se aumentar o acesso aos serviços já existentes, contribuir para habilitar novos tratamentos, além de favorecer o diagnóstico rápido e uma maior resolutividade, ou seja, proporcionar a melhoria da qualidade de vida dos pacientes.

O câncer representa a segunda causa de morte no País

O câncer representa a segunda causa de morte no País

Nesta iniciativa, foram revistos os atuais 121 procedimentos existentes por meio de adequação técnica, elaboradas mudanças na forma de organização da tabela, e a inclusão de novos procedimentos, entre eles, os relacionados à cirurgia de cabeça e pescoço, considerados de difícil acesso.

O Ministério da Saúde vai investir R$ 208,2 milhões a mais, ou seja, 121% a mais em comparação com 2011 (R$ 172,1 milhões) para ampliação da assistência.

Para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, mais recursos e ampliação dos procedimentos melhoram a qualidade do atendimento. “O objetivo destas medidas é instalar serviços onde não existem hoje, e estimular os serviços que já existem a produzir mais e, com isso, reduzir o tempo de espera para tratamento do câncer”, afirma Padilha.

Procedimentos

Os novos procedimentos, que passam a integrar a tabela do SUS, são:

  • Linfadenectomia Mediastinal em Oncologia;
  • Linfadenectomia Seletiva Guiada em Oncologia,  conhecida como “linfonodo sentinela”;
  • Reconstrução para Fonação em Oncologia – a tabela do SUS incluía a prótese, mas não o ato operatório da sua implantação;
  • Traquestomia Transtumoral em Oncologia;
  • Ressecção de Pavilhão Auricular em Oncologia.

Também estão inclusos:

  • Ressecção de Tumor Glômico;
  • Ligadura de Carótida;
  • Colecistectomia;
  • Ressecção Ampliada de Via Biliar Extrahepática;
  • Reconstrução com Retalho Osteomiocutâneo;
  • Timectomia

fonte:Portal Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *