Fique por dentro

Fique atento: Uso de anabolizantes e o câncer

O uso de anabolizantes e o desenvolvimento do câncer

anabolizante_cancerO uso indiscriminado e prolongado de hormônios e anabolizantes pode trazer sérias consequências para o organismo e influenciar no desenvolvimento de doenças, como o câncer, principalmente em pessoas que já apresentam pré-disposição.

Anabolizantes são hormônios sintéticos fabricados a partir da testosterona, hormônio sexual masculino, e podem ser encontrados em forma de comprimidos, cápsulas ou injeções intramusculares. O uso influencia no aumento dos músculos, na força física e no ganho de resistência. Estas substâncias podem estimular ainda a proliferação celular e, consequentemente, o desenvolvimento de tumores em diversos órgãos.

De acordo com o cirurgião oncologista e diretor do Núcleo de Cirurgia Abdominal do A.C.Camargo Cancer Center, Felipe Coimbra, os anabolizantes são um dos fatores de risco para os adenomas, tumores benignos do fígado com possibilidade de se tornar malignos. Além dos tumores hepáticos, os hormônios também estão relacionados com os cânceres de testículo, em homens, e de mama e endométrio, em mulheres. “O maior problema, na verdade, não é que o anabolizante é maléfico, mas o abuso e o mau uso podem ser prejudiciais, como acontece com qualquer outro medicamento”.

Tumores Hepáticos
O fígado, maior órgão sólido humano, é responsável pelo aproveitamento de um grande número de substâncias absorvidas pelo intestino e pela produção de várias proteínas que desempenham as mais diferentes funções no organismo, tais como a coagulação sanguínea e a defesa contra infecções.

A pessoa que apresenta um nódulo no fígado, mesmo que seja benigno, deve ter em sua rotina o acompanhamento com um especialista. “Dificilmente esses tumores aparecem de uma hora para a outra. Por isso, é importante fazer uma constante avaliação, especialmente pessoas que fazem o uso prolongado de hormônios e anabolizantes”, afirma Felipe.

O tratamento geralmente começa com uma cirurgia para a retirada da região do fígado acometida pelo câncer. A continuidade dependerá do tipo de tumor. Se for benigno, na maioria das vezes, a cirurgia é suficiente. Se for um tumor maligno, pode ser usado algum tipo de tratamento coadjuvante, como a quimioterapia. “As cirurgias avançaram muito. Hoje em dia é possível realizar a retirada de até 80% do fígado sem comprometer o funcionamento do órgão. O fígado se regenera e consegue voltar a exercer a mesma função É importante ressaltar que, após a cirurgia, não seja feito o uso de um fator estimulante, como é o caso do anabolizante e alguns hormônios específicos”, complementa..

Recomendação
A recomendação do uso de anabolizantes e hormônios é bem restrita e deve sempre ser feita por um especialista, como um endocrinologista ou ginecologista. “Nunca deve-se usar o anabolizante simplesmente pelo fator estético, pois além do desenvolvimento de doenças como o câncer de fígado, o consumo prolongado pode causar dependência psicológica”.

Dr. Felipe José Fernandez Coimbra – CRM/SP 93020
Diretor do Núcleo de Cirurgia Abdominal

Fonte: A.C.Camargo – Câncer Center – saúde-prevenção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *