Fique por dentro

Dra. Renata G. Ferreira fala sobre a laserterapia em pacientes com mucosite oral.

Ação da laserterapia no tratamento da mucosite oral para pacientes em tratamento de quimioterapia e radioterapia.

Uma das manifestações bucais mais comuns e dolorosas que pode ser induzida pela quimioterapia, radioterapia da região de cabeça e pescoço e/ou transplante de medula óssea é a mucosite oral. Essa condição pode gerar dor intensa ao mastigar, dificuldade de deglutir e dificuldade de higienização, contribuindo dessa forma para o aumento de focos infecciosos.

Laserterapia

Sua etiologia é multifatorial e vai depender tanto do tipo e da dose de medicação recebida como do estado de saúde geral do paciente. Seus sintomas mais comuns são edema, ardência, rubor, calor e dor; em maior ou menor grau de acordo com o dano causado ao tecido, a sensibilidade do paciente e a reação dos medidores de inflamação.

A laserterapia tem sido utilizada no processo de tratamento dessas lesões. Através do laser de baixa potência podemos obter uma ação direta na célula, aumentando o metabolismo celular e resultando em uma ação estimulativa e analgésica. Além disso, um efeito secundário com o aumento do fluxo sanguíneo também é observado, resultando em uma ação mediadora no processo de inflamação.

Dessa forma, a terapia com laser de baixa potência tem se mostrado eficaz quando utilizada com a intenção de acelerar o processo de cicatrização das lesões de mucosite oral e proporcionar efeito analgésico e antiinflamatório, diminuindo dessa forma dor, edema, eritema e hipersensibilidade.

Fonte: Dra Renata Germano Ferreira – Odontologia – Equipe Multidisciplinas Instituto KAPLAN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *