Fique por dentro

Dieta rica em tomate pode reduzir risco de câncer de mama

Nova pesquisa indica o consumo de “tomate” não só na prevenção no câncer de próstata mas também para o câncer de mama.

tomatesA ciência já havia anunciado que manter uma dieta rica em tomate é uma forma de prevenir o câncer de próstata. Agora, um estudo publicado na revista da Sociedade de Endocrinologia da Clinical Endocrinology & Metabolism também dá um motivo para as mulheres inserirem esse alimento em seu cardápio: o tomate ajuda a proteger do câncer de mama após a menopausa.

O risco de desenvolver câncer de mama aumenta no período pós-menopausa, especialmente por causa do aumento do índice de massa corporal. O estudo mostrou que uma dieta rica em tomates pode ter um efeito positivo no nível de hormônios que regulam o metabolismo da gordura e do açúcar.

— As vantagens de comer tomates e também produtos à base da fruta em grandes quantidades, mesmo que por um curto período, eram claramente evidentes em nossos resultados — disse a autora principal da pesquisa e professora da Rutgers University, Adana Llanos.

Segundo Adana, comer frutas e legumes, que são ricos em nutrientes essenciais, vitaminas, minerais e fitoquímicos como o licopeno, traz benefícios significativos.

— Com base nesses dados, acreditamos que o consumo regular desses alimentos pode prevenir o câncer de mama em uma população em situação de risco — afirma.

A pesquisa examinou os efeitos da dieta em 70 mulheres no período de pós-menopausa. Durante dez semanas, elas comeram produtos com tomate contendo pelo menos 25 miligramas de licopeno por dia. Antes do período de teste, as mulheres foram orientadas a evitar o consumo do tomate por duas semanas.

Quando elas seguiram essa dieta, os seus níveis de adiponectina (hormônio que regula os níveis de açúcar no sangue e gordura) subiu 9%. O efeito foi um pouco mais forte em mulheres que tinham um índice de massa corporal inferior.

— Os resultados demonstram a importância da prevenção da obesidade. Consumir bastante tomate teve um impacto maior sobre os níveis de hormônios em mulheres que mantiveram um peso saudável — observou Llanos.

FONTE: ZERO HORA/VIDA E ESTILO/BEM ESTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *